Leonardo da Vinci e os cookies: nós usamos cookies para melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Livraria Leonardo da Vinci

COLONIZAÇÃO PUNITIVA E TOTALITARISMO FINANCEIRO: A CRIMINOLOGIA DO SER-AQUI

Autor: ZAFFARONI, EUGENIO RAÚL

Editora: DA VINCI LIVROS

Categoria: DIREITO

Por: R$ 50,00

Comprar

Sinopse

Como o poder de punir, de impor sofrimento ou destruir outras pessoas produz o “genocídio gota a gota” que coloca em risco a própria humanidade? Por que os “saberes oficiais” levaram à naturalização dos processos de sub-humanização? Os detentores do poder econômico identificam-se com a macrocriminalidade organizada? É possível resistir ao programa suicida inerente ao totalitarismo financeiro? Há espaço para um novo paradigma adequado à maioria excluída?

Neste livro, Eugenio Raúl Zaffaroni, um dos principais intelectuais contemporâneos, analisa fenômenos como o colonialismo tardio, a colonização punitiva, o totalitarismo financeiro, a macrocriminalidade organizada, o partido midiático, a demonização das lideranças populares, a arrogância intelectual do norte e as ilegalidades das agências estatais para produzir um saber nosso (a criminologia do ser-aqui), a partir dos nossos problemas; um saber capaz de projetar-se em sentido emancipatório.

Sumário
12 Apresentação
14 I. O QUE É PODER PUNITIVO?
24 II. A CRIMINOLOGIA DO NORTE OCULTA OS GENOCÍDIOS
28 III. A MACROCRIMINALIDADE ORGANIZADA DO NORTE
34 IV. O PODER PUNITIVO DO NORTE E DO SUL
44 V. POR ACASO, EXPLICAMOS O QUE AQUI DESCREVEMOS?
54 VI. O COLONIZADOR TROUXE O PODER PUNITIVO
60 VII. OUTRA NARRATIVA
72 VIII. UMA NOVA ETAPA DO NEOCOLONIALISMO
76 IX. O PODER PUNITIVO DO COLONIALISMO TARDIO
88 X. A FUNCIONALIDADE DA REPRODUÇÃO DELITIVA
98 XI. O ESTADO ATROFIADO E A FABRICAÇÃO DE SUBJETIVIDADES
108 XII. LIMPAR O TERRENO: ALGUNS OBSTÁCULOS USUAIS PARA SUPERAR A COLONIALIDADE
120 XIII. PRECAUÇÕES ACERCA DOS LIMITES POLÍTICOS DA CRIMINOLOGIA
126 XIV. A INCORPORAÇÃO DAS RESISTÊNCIAS: UM NOVO PARADIGMA?
140 XV. A METODOLOGIA DOS SABERES POPULARES
150 XVI. A EXPRESSÃO DOS SABERES POPULARES
156 XVII. CONCLUSÃO: SOBRE AS TÁTICAS DE RESISTÊNCIA
162 Referências bibliográficas

Eugenio Raúl Zaffaroni é Doutor em Ciências Jurídicas e Sociais (1964) pela Universidade Nacional do Litoral (UNL). É professor emérito e diretor do Departamento de Direito Penal e Criminologia da Universidade de Buenos Aires (UBA). Foi Ministro da Suprema Corte de Justiça da Argentina (2003-2014) e, desde 2015, é Juiz da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Autor de mais de vinte e cinco livros, desempenhou a magistratura durante décadas, sendo Deputado Constituinte Nacional, em 1994, e da cidade de Buenos Aires, em 1996. Recebeu o título de Doutor Honoris Causa em quarenta e cinco universidades da América Latina e da Europa. Entre os diversos prêmios e condecorações recebidas, destacam-se o Prêmio Estocolmo de Criminologia (2009), a Ordem do Mérito do Governo Alemão, a Ordem da Estrela da Solidariedade Italiana e o Prêmio Silvia Sandamo, recebido no Campidoglio de Roma (2010). É Vice-Presidente da Associação Internacional de Direito Penal e da Sociedade Internacional de Defesa Social. Membro do Painel de Eminentes Juristas da Comissão Internacional de Juristas de Genebra.


Informações

ISBN: 9786599597619

Acabamento: Capa comum

Edição: 1

Publicação: 2021

Número de Paginas: 0167